Cayo Cangrejo, um paraíso em Providencia, na Colômbia

postado em: América Latina, Colômbia | 6
cayo.png
Cayo Cangrejo

Cayo Cangrejo, na ilha Providencia, na Colômbia, tem aquele mar azul que você vê em fotos na internet e acha que só existe porque rolou uma edição no Photoshop ou um filtro no Instagram. Nem preciso dizer que vale muito a pena ir, né? Então, antes de falar da parte boa, começo pela chata: a viagem.

Quando estava planejando minha trip à Colômbia, pesquisei que havia duas formas de acessar Providencia saindo de San Andrés: pelos voos da empresa Satena ou por barco, com a Conocemos Navegando. Li péssimos relatos sobre a travessia por mar e tentei comprar as passagens aéreas, que são caras, diga-se de passagem. Porém, ao final do processo, sempre aparecia uma mensagem de erro (quem descobrir algum truque para adquirir os bilhetes por esse site me conta!). Então, parti para a outra opção. Concluí a compra sem problemas por meio de uma negociação por email e paguei via PayU. Sai a 280.000 COP (pesos colombianos) ida e volta por pessoa. Resolvi ir num dia e voltar no seguinte. Por isso, deixei as malas no hotel em San Andrés para facilitar, mas a embarcação tem espaço para bagagem, fique tranquilo.

ONDE SE HOSPEDAR EM SAN ANDRÉS E PROVIDENCIA?

A viagem:

A saída é do Muelle Toninos, bem no Centro de San Andrés, próximo ao famoso restaurante La Regatta. Vale lembrar que só há viagens às segundas, quartas, quintas, sextas e domingos. O horário marcado é 8h, mas pedem que você chegue às 6h30m. Depois de apresentar meu ticket, fui para a fila de embarque e tive uma surpresa: a própria empresa distribui água e remédio para enjoo. Tomei, já desconfiada de que a aventura não seria lá muito prazerosa.

Não deu outra. O catamarã, que segue na direção contrária ao vento, sacode absurdamente. Umas dez pessoas passaram mal e o funcionário teve de recolher os saquinhos com vômito. Puxado! Meu namorado ficou três horas enjoado. Sim, porque o sofrimento dura mais de três horas. A viagem leva cinco no total, sempre nessas condições adversas. Ao final, só se via a expressão de derrota da galera. Então, vale a pena gastar uma grana e ir de avião, gente!

Enfim, cheguei ao Muelle Departamental de Providencia. Há táxis e mototáxis disponíveis. Como não sou muito fã de moto, peguei um táxi por 12.000 COP, meio salgado, pois os motoristas aproveitam os turistas para bombar o preço. Mototáxi sai mais em conta. Fui, então, para minha pousada (Jasmina Place, prometo falar dela em outro post) e me aconselharam a seguir para a praia Maracaibo e, de lá, pegar um barco até Cayo Cangrejo.

Consegui um barquinho no deque do hotel Deep Blue. A travessia leva uns cinco minutos, mas eles cobram impressionantes 40.000 COP por pessoa. Chegando lá, é só combinar a hora que quer voltar com o barqueiro e ele aparece pontualmente. Se não me engano, Cayo fica aberto até umas 17h ou 18h. Logo na entrada, há um funcionário recolhendo o valor do ingresso. Se não me falha a memória, não passa de 8.000 COP por pessoa. Não espere muita estrutura: o lugar só tem uns banquinhos de madeira. Se for ficar lá muito tempo, melhor levar comida.

A ilha:

Dá para ficar relaxando no mar durante um bom tempo, tomar um sol no deque e depois ir para o ponto mais alto da ilhota, a melhor parte do passeio. Para isso, basta subir por uma pequena trilha com duração de cinco minutos, no máximo. Lá em cima, você precisa escalar três pedras (é muito simples, mas, se tiver medo de altura, complica um pouco) e chegar ao topo.

Garanto: o visual é de tirar o fôlego, arrebatador. Para quem gosta de fotografar, um prato cheio. Fui por volta das 14h, então, foi tranquilo ficar em cima das pedras tirando mil fotos. Talvez mais cedo seja disputado.

Acredito que não valha muito a pena ficar vários dias em Providencia, pois o grande barato é mesmo o Cayo Cangrejo. Na volta a San Andrés, a viagem foi mais tranquila, a favor do vento, e durou menos tempo, cerca de 2h30m. Ainda assim, não recomendo, porque as turbulências continuam, só que em menor intensidade. Se só sobrar essa forma de locomoção, vá, pois não conseguirá encontrar um lugar tão lindo quanto esse por aí.

Importante: é preciso tomar vacina contra febre amarela e tirar o certificado internacional para ir à Colômbia.

cayo3
Deque no Cayo Cangrejo
cayo2
Deque no Cayo Cangrejo

Espero que tenham curtido o post de estreia deste blog. Qualquer dúvida, estamos aí! E daqui a pouco tem mais histórias! 🙂

cayo4
Ponto mais alto de Cayo Cangrejo

6 Respostas

  1. Que lugar incrível!

  2. Mariana Cavadinha

    Adorei o post, realmente muito lindo esse lugar! Não vejo a hora de ler os próximos posts!!

  3. Cristiane Gonzaga

    Depois desse post, a viagem já está na minha lista! 😊

  4. […] adiantei no post sobre Cayo Cangrejo, me hospedei na Jasmina Place em Providencia. Como ia passar apenas um dia lá, preferi economizar […]

  5. […] dias por lá é o suficiente. Para não desperdiçar a ida ao país, recomendo visitar também Providencia e Cartagena. Quem tem dúvidas sobre hospedagem em San Andrés pode ler o post que preparei sobre […]

  6. […] sendo que o preço geralmente varia de 5 a 9. Os drinques saem por mais de 20.000. Leia mais: Cayo Cangrejo, um paraíso na […]

Deixe uma resposta