Guia prático de Londres – parte III

postado em: Europa, Inglaterra | 1

img-20150702-wa0065Já dei várias dicas para quem quer conhecer Londres (parte 1 e parte 2). Agora vamos ao último post. Antes, uma observação importante: você deve passar pelo menos três dias inteiros na cidade. Ainda assim, vai ser a maior correria. Acredito que cinco ou seis dias são suficientes. Mas, como já falei aqui, isso exige mais dinheiro. Então, reflita sobre o que cabe no seu bolso e vá adaptando o roteiro.

Comece um dia pelo museu de cera Madame Tussauds (estação de metrô Baker Street). É possível comprar o ingresso junto com o da London Eye e, dessa forma, economizar. Está tudo detalhado no post 1. As esculturas são impressionantes e reproduzem as celebridades fielmente. Amei tudo. Ao final, há ainda um tour mal-assombrado, em que pessoas vestidas como personagens de terror dão sustos nos visitantes. É divertido. O passeio todo dura, no mínimo, duas horas.

img-20150701-wa0037img-20150701-wa0036img-20150701-wa0046img-20150701-wa0053img-20150701-wa0052

O museu fica na rua Marylebone, onde também se encontra a estátua do famoso investigador Sherlock Holmes, criação de Arthur Conan Doyle. Entrando na lendária Baker Street, você logo verá o Museu Sherlock Homes. O local é bem pequeno e pode ser conhecido rapidinho. Eu sou fã do personagem e curti, mas é bom deixar claro que não se trata de uma atração imperdível. Tem um restaurante Pizza Hut ali perto, para quem quiser uma refeição econômica.

img-20150701-wa0031

Dali, siga para o Regent’s Park, que é gigante e bem bacana. Se preferir, deixe para explorar outro dia, pois você já vai ter gastado um bom tempo pela manhã. Depois, vem o bairro Camden, um dos meus preferidos em Londres. São cerca de 15 minutos de caminhada até lá desde o parque.

Essa parte destoa totalmente do resto da cidade. Tem uma identidade muito própria, com muros grafitados e várias lojas com visual diferente. Além disso, há um mercado com barraquinhas de roupas e artesanato. Esse é o melhor ponto para comprar souvenir. Há uma infinidade de comerciantes que praticam preços bem em conta.

img-20150702-wa0053

Por fim, procure visitar a Abbey Road (estação de metrô St. John’s Wood) e reproduzir a foto clássica do disco de mesmo nome dos Beatles. Porém, assim como o museu do Sherlock, não é algo indispensável.

img-20150701-wa0043

Há, ainda, o Soho, que é o ponto mais badalado de Londres. Recomendo ir lá ao final da tarde, para aproveitar o happy hour, ou à noite, para jantar. As opções são muitas, mas tudo bem caro. Portanto, se não quiser viver só de fast food (como eu!), reserve uma boa grana. Ah, e a Picadilly Circus também deve ser visitada à noite, para que se consiga ver os painéis luminosos e curtir a movimentação.

img-20150702-wa0059
Picadilly

Considerações finais:

Quanto levar? Se você for seguir todo esse roteiro de três dias, o ideal seria reservar cerca de 35 libras para transporte, 50 para compras (se for pouco consumista), 80 para ingressos e 100 para alimentação (isso sem qualquer ostentação nas refeições). Sem contar a hospedagem, claro.

Se for no verão, lembre-se de comprar muita água, pois o calor é desgastante. E tente encontrar um local para se hospedar que sirva café da manhã. Percebi que faz muita diferença, pois acabei gastando dinheiro no Starbucks com lanches simples.

Uma resposta

  1. […] 14 – Penzance, England: Ganhou visibilidade com a série “Poldark”, da BBC. O NYT classifica a cidade como um destino culinário. Além disso, ela fica a cerca de cinco horas de carro de Londres, que é sempre uma ótima pedida. Veja as dicas (parte I, parte II e parte III) […]

Deixe uma resposta