Ubatuba, SP: o que você deve saber antes de ir

postado em: Brasil, São Paulo | 9
Ubatuba
Praia Domingas Dias, em Ubatuba

Ubatuba, no litoral norte de São Paulo, tem praias para todos os gostos. Neste post, vou listar as que considero as melhores e destacar as principais características de cada uma. Recomendo passar pelo menos dois dias inteiros lá para aproveitar bem todas as opções.

Antes de tudo, a hospedagem. Planejando a viagem, percebi que Ubatuba tem pousadas muito simples ou hotéis muito caros. Foi difícil encontrar um meio termo. Acabei escolhendo a Pousada Pataxó, que fica na Praia Toninhas, do lado da Praia Grande. Apesar da boa experiência no local, achei o preço caro considerando o que é oferecido. Paguei um total de R$ 870 por três diárias no feriadão de Tiradentes.

Os quartos são bem confortáveis (com frigobar, TV e ar-condicionado) e o café da manhã, muito bom, apesar de ser servido apenas das 8h às 10h. Os donos são atenciosos e dão todas as dicas da cidade. Para quem vai sem carro, a localização é ruim, pois não há comércio e bons restaurantes perto dali. Aliás, aconselho fortemente ir com o próprio veículo. Sequer me recordo de ver ônibus circulando pelas ruas. O grande ponto negativo é a quantidade surreal de radares e quebra-molas na BR-101, estrada em que se localizam todas as praias. Cansa qualquer motorista. Sem falar no congestionamento que volta e meia se forma.

VEJA OUTRAS OPÇÕES DE HOSPEDAGEM

Não sou capaz de cravar qual é a melhor praia para se hospedar porque isso vai variar muito de acordo com seu objetivo. Se a ideia é ficar próximo do polo gastronômico de Ubatuba, opte por Itaguá (a cerca de 20 minutos de carro de Toninhas), onde se encontra também o Aquário – aliás, ótimo programa para quem viaja com crianças. Praia Grande e Toninhas têm um leque grande de hotéis e pousadas, mas ficam bastante cheias e o trânsito não é dos melhores nos finais de semana e feriados. As praias Domingas Dias e Félix são lindas e tranquilas. Então, arranjar algo perto delas pode ser uma boa. E a Sununga tem um camping espaçoso, ideal para quem deseja economizar.

VEJA TAMBÉM O ROTEIRO DE ILHABELA

Vamos às praias, então. É só seguir pela BR-101 e verá todas as placas indicando as entradas para elas. A sinalização é excelente. Comecei pela Praia Brava da Almada, a mais distante de Toninhas, e depois fui voltando. Veja o mapa abaixo para entender. A Almada fica a cerca de 40 km de Paraty, no Rio. Então, se você for do Rio e sair bem cedinho, pode parar nela logo que chegar a Ubatuba e depois seguir viagem. Ou, se deixar Ubatuba pela manhã, conseguirá incluir no roteiro da volta. Como eu cheguei à noite, não teve jeito. No dia seguinte, encarei a estrada novamente.

A praia é muito agradável e tem clima familiar. No canto direito, há várias pedras onde os banhistas costumam subir para apreciar a paisagem. A estrutura de quiosques é satisfatória. O estacionamento custa R$ 10. O tempo estava meio ruim, então, acredito que esse valor suba em dias de maior movimento. A água, tranquila, não é gelada.

mapaubatuba
Mapa de Ubatuba
Ubatuba
Praia da Almada, em Ubatuba

Depois, foi a vez da Prumirim. Chegue cedo para conseguir estacionar o carro, se for o caso, pois o local bomba. Havia crianças guardando os veículos, mas não me cobraram.

A praia tem dois quiosques bem grandes, um em cada extremo. Um deles fica logo na entrada e é mais simples. Contudo, não tem preços muito vantajosos. O outro, por sua vez, apresenta um cardápio mais sofisticado e conta com um palco para shows (cobram couvert artístico). O clima se compara ao das praias mais baladas de Búzios, por exemplo, com uma galera jovem interessada em consumir champanhe. É um bom estabelecimento para almoçar. Provei apenas o bolinho de camarão e achei ótimo.

Ao lado do primeiro bar que citei, existe um canal, onde as pessoas praticam stand up paddle. O mar é bem agitado, vale lembrar.

Ubatuba
Praia Prumirim, em Ubatuba

A terceira parada foi a Praia Sununga, que tem como grande atração a Gruta que Chora. Recebe esse nome porque cai água na entrada dela, como se fossem lágrimas. Lugar muito diferente e superbonito. A praia em si não é das melhores e tem apenas pequenos quiosques simples. E o camping sobre o qual falei lá em cima.

Ubatuba
Gruta que chora, em Ubatuba

Por fim, Domingas Dias, minha predileta. Infelizmente, fica dentro de um condomínio com acesso restrito. São permitidos no máximo 40 carros. É preciso se identificar na portaria e eles não cobram entrada. Portanto, chegue cedo ou vá no final da tarde para não correr o risco de ficar do lado de fora. A praia não tem qualquer comércio e essa tranquilidade é seu charme. A paisagem é incrível.

Ubatuba
Praia Domingas Dias, em Ubatuba
Ubatuba
Praia Domingas Dias, em Ubatuba

 

No dia seguinte, conheci a Praia do Félix, uma gracinha. Lembra a Praia da Almada, mas com quiosques mais modestos. Bem familiar também. Estacione e depois ande dois minutos por uma pequena trilha.

Ubatuba
Praia do Félix, em Ubatuba
 Ubatuba
Praia do Félix, em Ubatuba

Por fim, não deixe de parar no mirante entre as praias Grande e Toninhas. Vista maravilhosa.

Ubatuba
Mirante Toninhas, em Ubatuba

E uma dica muito importante: em Ubatuba existe um sistema chamado Zona Azul. Você paga R$ 12 em uma praia e pode estacionar em todas as outras dentro de um período de 12 horas. Porém, não vi os agentes fazendo essa cobrança, apenas na Praia Grande e na do Félix, onde, aliás, motoristas estavam sendo multados. Portanto, muita atenção nesse momento.

Com relação a alimentação, recomendo os restaurantes A Taberna e San Telmo. O primeiro é famoso pelo seu excelente bacalhau – o bolinho, por exemplo é incrível -, mas decidi provar um risoto com legumes e amei. O pudim de claras também estava delicioso. Excelente lugar, ótimo atendimento. Contudo, preços caros. San Telmo também não é dos mais baratos, mas outra boa opção. Coma as empanadas e prove alguma carne ou massa. Tudo muito saboroso. Ambos ficam em Itaguá. Mais uma boa pedida é a Padaria Orquídea Palace, que vende várias sopas deliciosas à noite, além de pizzas, salgados e sanduíches. Tudo com valores bem acessíveis.

*Viagem realizada em abril de 2017

LEIA MAIS:

Ilhabela: quais praias visitar e como usar a balsa para chegar

O que você não pode deixar de fazer em São Paulo?

Como chegar à Ilha do Japonês, em Cabo Frio

Arraial do Cabo tem praias lindas que você precisa conhecer

 Ubatuba
Restaurante San Telmo, em Ubatuba
Ubatuba
Restaurante San Telmo, em Ubatuba
Ubatuba
Restaurante A Taberna, em Ubatuba

9 Respostas

  1. Não conheço a região, mas depois do post fiquei com muita vontade. Realmente parece um local com praias para todos os gostos e estilos 🙂

  2. Eu adoro Ubatuba e todo o litoral norte de São Paulo. Um lugar mais bonito que o outro, né?! Amei essa Gruta que Chora. Não conheço, mas vou tratar logo de conhecer! Ótimo post.

  3. Não conheço a região, mas adorei a praia do Felix e o mirante! A Gruta que Chora também me pareceu muito bonita!

  4. Já passei muitas férias em Ubatuba quando era criança, mas não sei porque, meus pais sempre ficavam na mesma praia (risos).
    Quanta coisa linda que vc mostrou … meu deu vontade de voltar e conhecer tudo isso!!!
    beijos

  5. Ubatuba é uma delícia mesmo! Já fui lá algumas vezes e sempre que volto curto demais o lugar. Mesmo com chuva e tempo feio vale a pena, né? Parabéns pelas dicas, o post tá completinho!
    Abraços

  6. […] O que saber antes de ir a Ubatuba, em São Paulo […]

  7. […] Ubatuba, SP: o que saber antes de ir […]

  8. […] O que você deve saber antes de ir a Ubatuba, em São Paulo […]

Deixe uma resposta